Arquivos

Você está navegando nos arquivos do Blog do Prof. Robson Soares Silva – Notícias e Dicas de TI de outubro, 2009.

out

31

Aplicação em Android para Somar Números

By Robson Soares

Na aula da pós-graduação de Java 2009, na ANHANGUERA UNIDERP, eu e meus alunos desenvolvemos uma aplicação de exemplo para o Android para Somar dois números.

somaandroid

A aplicação ficou com o seguinte código-fonte:

package android.app;

import android.app.Activity;
import android.os.Bundle;
import android.view.View;
import android.widget.Button;
import android.widget.EditText;

public class AtividadeSoma extends Activity {
/** Called when the activity is first created. */
@Override
public void onCreate(Bundle savedInstanceState) {
super.onCreate(savedInstanceState);
setContentView(R.layout.main);

Button b = (Button) findViewById(R.id.b1);

b.setOnClickListener(new Button.OnClickListener(){

public void onClick(View v) {
// TODO Auto-generated method stub
EditText num1 = (EditText) findViewById(R.id.n1);
EditText num2 = (EditText) findViewById(R.id.n2);
EditText num3 = (EditText) findViewById(R.id.n3);

Double dnum1 = Double.parseDouble(num1.getText().toString());
Double dnum2 = Double.parseDouble(num2.getText().toString());

num3.setText(String.valueOf(dnum1+dnum2));
}
});

}
}

Agradeço aos meus alunos da pós-graduação que sempre participam de uma forma muito positiva e ajudam bastante na pesquisa sobre o Android.

Abraço a todos

out

31

QR Code do Site

By Robson Soares

Aplicativo gratuito transforma uma imagem estranha em informações na telinha do seu aparelho celular. O QR Code é uma tecnologia que se trata de um aplicativo gratuito para qualquer celular, que permite ao usuário apontar a câmera para uma figura, que é na verdade um código de barras 2D, e o programa transforma a imagem em uma informação específica.

O QR Code está sendo cada vez mais utilizado em anúncios publicitários, videoclipes e uma série de outras situações. O mais legal é que você mesmo pode criar um QR Code também! Ficou curioso para saber melhor como funciona? Então confira a matéria que produzimos.

Para decifrar e criar os seus próprios códigos, faça o seguinte:

Primeiro, clique aqui e baixe o i-nigma, ou então abra o browser do seu celular e acesse a página www.i-nigma.mobi. O seu aparelho fará o download do aplicativo, automaticamente. Com aplicativo instalado, acesse esta página aqui, o QR Code Generator, para criar seus próprios códigos.

Se preferir, execute o i-nigma no seu celular, aponte seu celular para as imagens abaixo e descubra as mensagens por trás dos códigos!

Este é do site http://www.robsonsoares.com/

qrcode

Referência: Olhar Digital

out

31

Mobile Application com C#

By Robson Soares

Vamos demonstrar neste post o desenvolvimento de uma aplicação móvel para Windows Mobile, usando C# e a IDE Visual Studio 2008.

Agradeço ao Gabriel Potumatti que levou seu Notebook com o Visual Studio 2008 e criou a aplicação e eu o acompanhei para poder repassar para o site.

1) Deve-se selecionar a opção New -> Mobile Application

2) Deve-se inserir os objetos através da barra de ferramentas ToolBox, e configurar suas propriedades conforme mostra a figura.

imc_c_visual_studio_menor

3) Dê dois cliques no Botão e insira o código mostrado a seguir.

using System;
using System.Windows.Forms;

namespace SmartDeviceProject1
{
public partial class Form1 : Form
{
public Form1()
{
InitializeComponent();
}

private void button1_Click(object sender, EventArgs e)
{
double imc = Convert.ToDouble(textBox1.Text) / (Convert.ToDouble(textBox2.Text) * Convert.ToDouble(textBox2.Text));
label1.Text = imc.ToString();

if (imc < 18.5)
label2.Text = "Abaixo do peso";
else if ((imc >= 18.5) && (imc < 25))
label2.Text = "Peso normal";
else if ((imc >= 25) && (imc < 30))
label2.Text = "Acima do peso";
else if (imc > 30)
label2.Text = “Obeso”;
}
}
}

4) Tecle Ctrl+F5 para executar a aplicação

Pronto!!! Assim demonstramos aqui mais uma opção para desenvolvimento de aplicações móveis.

Grande abraço a todos

out

27

Reunião da Célula .net

By Robson Soares

Nessa terça-feira tivemos reunião da célula com o Gabriel Potumati que nos mostrou como criar um cadastro de clientes usando C#.

Neste dia participamos eu (Robson), o Danilo Ribeiro, o Alessandro Pedra e o Mayk Brito.

A tela final implementada pelo Gabriel é mostrada logo abaixo.

webformcadastrocliente

Lembrando que para executar a aplicação deve-se usar a tecla F5.

Valeu Gabriel pela super aula e também ao Alessandro e o Danilo por acompanharem

out

24

Rede Social Cultural. Isso mesmo, é verdade!

By Robson Soares

Tive um comentário aqui no blog do Prof. Suintila, onde ele me apresentou uma rede social sobre assuntos culturais, criada pelo Ministério da Cultura, chamada Cultura Digital. Muito bacana. Visitem e se cadastrem. Vamos fazer a diferença produzindo e compartilhando conhecimento.

O blog do Prof. Suintila tem um conteúdo muito interessante com informações relevantes sobre cultura em geral, vale a pena visitar.

Abraços,

Robson

out

24

Android Especial: prós e contras, crescimento e inovação

By Robson Soares

O meu amigo Edilmar me enviou uma notícia sobre o Android do site itweb. Este site lançou um especial sobre o Android com três matérias escritas por Gilberto Pavoni Junior. Estas notícias deixam claro a importância que se deve dar ao Android e a possibilidade de desenvolver softwares para seus smartphones.

logo-android

Prós e Contras
O sistema operacional para plataformas móveis do Google, o Android, tem tudo para ser um sucesso. Pelo menos, é o que fóruns de discussão online pelo mundo inteiro vêm apontando. O volume de mensagens sobre o software e os aparelhos lançados cresce a cada dia. Porém, mesmo com tanto entusiasmo, há algumas críticas de usuários. O IT Web selecionou cinco prós e contras mais comentados nessas listas.

Prós

A plataforma aberta recebe o maior número de elogios em qualquer fórum online. Esta característica pode colocar o Android em um patamar de colaboração semelhante ao Linux.
Os aparelhos lançados com o Android já partem de um novo estágio da demanda do consumidor. Eles são multitarefa, touchscreen e com acesso fácil à web.
Os aplicativos web que chegam com os novos aparelhos podem não entusiasmar os mais exigentes. No entanto, é uma questão de tempo para outras centenas surgirem.
Possibilidade de uso e sincronização das ferramentas online do Google de maneira fácil, assim como o uso em redes sociais.
Caiu no gosto dos desenvolvedores de todo o tipo e já há tutoriais de como portar outras linguagens disponíveis para o Android.

Contras
É um sistema novo e suscetível a bugs e falhas. Nos fóruns, a integração com contas POP3 e a falta de sensibilidade da interface de alguns aparelhos têm sido as mais criticadas.
No Brasil, os modelos de celulares são e caros. As operadoras adotaram a mesma velha estratégia. E os consumidores sabem o quanto elas demoram para derrubar preços.
Ainda não há política certa do Android Market no Brasil. Algumas operadoras estão em contato com a Open Handset Alliance, mas não há nada concreto ainda.
Se os desenvolvedores se entusiasmaram logo de cara, os designers ainda não. Isto faz quase todas as aplicações terem um aspecto pouco moderno.
De uma forma geral, espera-se um aumento de ataques de criminosos digitais nos celulares. As empresas de segurança tem grande preocupação com o Android e outras plataformas abertas que possam surgir.
Mas, se você quer um motivo adicional para relativizar esses pontos contras, os fóruns online podem dar um elogio pouco ortodoxo do Android: você pode esfregar um celular com Android na cara do seu amigo que há seis meses se vangloriava de ter um iPhone.

Referência: itweb

Crescimento

Sistema do Google tem ganhado evidência pelas possibilidades de interface amigável com a internet

Com um ano de lançamento, o Android continua a gerar expectativas. Desde o G1 – primeiro celular a trazer a novidade, em setembro de 2008 -, este mercado que envolve sistemas móveis nunca foi tão noticiado. A tecnologia, criada pelo Google e repassada para a Open Handset Alliance, concorre diretamente com Symbian, PalmOS, iPhone, Blackberry e com recém-lançado Windows Phone.

No meio das expectativas, estão os verdadeiros desafios do Android. Uma das certezas é que o jovem sistema tem chances de brigar de igual para igual com seus concorrentes lançados há mais anos no mercado. A consultoria Strategy Group espera que, em 2009, o crescimento do market share desta plataforma beire os 900%. Tudo graças ao custo de licenciamento relativamente baixo, modelo baseado em estrutura código aberto e integração fácil com aplicativos de internet que tem a cara do Google.

Esta é a segunda de uma série de reportagens que o IT Web publica sobre o Android

Os números frios do crescimento do mercado escondem uma tendência maior e que faz o Android ser tão festejado. As operadoras de telecomunicações têm falhado ao fornecer uma experiência de uso aos usuários que incorpore todas as possibilidades da mobilidade conectada à web. E isto é algo que vem desde as promessas infladas do WAP.

O Android tem encorajado fabricantes e operadoras de telecomunicações a se preocuparem mais com esta questão. “O Android torna verdadeiramente o celular uma plataforma de internet como a conhecemos hoje em nossos computadores”, explica o gerente de aparelhos e criação de serviços da TIM, Rafael Marquez. A empresa já está vendendo aparelhos com o novo sistema Google e anunciou, em 6 de outubro, que também trabalhará com o Windows Phone (o nome comercial da versão 6.5 do Windows Mobile). Por enquanto, o foco é o cliente final que gosta de novidades. “Este público impulsiona o mercado enquanto a oferta de aplicativos ganha amadurecimento”, explica o executivo.

A novidade tem conquistado mesmo os consumidores, tanto que a AdMob, empresa especializada no mercado de celulares, aponta que o HTC Magic com Android já consta da lista dos dez aparelhos mais procurados nos Estados Unidos e Europa, ganhando mercado principalmente em cima do N97 da Nokia. A plataforma criada pelo Google cresceu de 2% para 7% de participação, entre fevereiro e agosto, no mercado mundial (que envolve usuários domésticos e corporativos). Junto com o iPhone, foi a única tecnologia a ganhar participação. Confira os números aqui.

O principal executivo da divisão Android do Google já anunciou que a intenção é alcançar o usuário corporativo, principalmente, a força de vendas e funcionários que trabalham longe dos escritórios. Mas não há qualquer movimento nesta direção atualmente. O foco momentâneo é mesmo os consumidores que gostam de redes sociais, jogos e aplicativos de internet. Somente as futuras versões do Android trarão estrutura para facilidades do mundo corporativo.

Referência: itweb

Inovação

Software criado pelo Google promete trazer novos aplicativos de comunicação móvel focados. Mas, antes, precisa conquistar os desenvolvedores

A disputa pelo mercado de celulares ganhou novos ares nos últimos meses. A série de lançamentos envolvendo a plataforma Android – criada pelo Google e gerenciada atualmente pela Open Handset Alliance – tem movimentado o mercado em outras direções que estão longe das features embarcadas nos aparelhos. A disputa agora é sobre o futuro dos serviços que estes aparelhinhos permitirão.

O Magic, da HTC, lançado recentemente no Brasil, já é um bom exemplo do que pode se esperar dessa nova safra de celulares. Ele traz facilidades para que o usuário instale widgets (aplicativos web) variados e traz interação nativa com redes sociais e aplicativos de escritório. Esta evolução, mais pela possibilidade e pelo momento em que surge do que por suas características atuais, deve levar a caminhos inimagináveis.

É como se no começo da popularização dos computadores, nos anos 80, não tivéssemos o Windows como sistema predominante. No mundo móvel de hoje, existem ao menos seis tecnologias concorrentes buscando um lugar ao sol. Symbian, RIM OS, Android, iPhone OS, Palm OS e Windows Mobile disputam o coração dos consumidores. “O sucesso delas dependerá da oferta de aplicativos e nisso o Android é promissor”, explica o diretor de negócios da HTC no Brasil, Rodrigo Byrro.

O lado curioso da nova disputa é que não há grandes diferenças entre os novos celulares com Android. Eles somente se mostram prontos para a nova evolução que pode ser proporcionada pelas comunidades de desenvolvedores espalhadas pelo mundo.

Esse fator disperso e dependente de comunidades locais pode causar uma reviravolta no mercado em torno dos celulares. A produtora de software Distimo detectou um padrão interessante que explica esse novo cenário e pode ser conferido neste link. Seus aplicativos para iPhone tem boa penetração em mercados locais. Porém, as vendas de programas para Android se destacam globalmente.

As possibilidades dos serviços especializados em celulares são muitas. A rede das operadoras pode identificar o local exato da pessoa e os dados trocados entre sistemas podem levar isso em consideração. Um exemplo é o aplicativo de previsão do tempo que está no Magic, que informa o clima local de forma imediata mesmo que o usuário viaje entre mais de uma cidade no mesmo dia. “Porém, toda a inovação dependerá da forma e do que os desenvolvedores de software vão criar para o Android”, destaca Byrro.

Não é por acaso que a Motorola, ao anunciar suas intenções com o Android, prometeu ajudar a troca de informações entre técnicos do mundo todo para a evolução da plataforma. A empresa lançou o MOTODEV Studio Android Beta, para facilitar a criação de aplicativos para os terminais da marca e deve abrir seus canais de distribuição para as soluções em breve.

A atenção da empresa ao assunto pode ser conferida aqui. O vice-presidente para plataformas de software e ecossistemas da Motorola, Christy Wyatt, acredita que o Android, como uma plataforma aberta, irá fomentar a inovação dos celulares nos próximos anos.

Algo que é enfatizado por um dos maiores especialistas em redes digitais, o matemático e criador do protocolo TCP/IP e atualmente um dos evengelistas do Google, Vinton Cerf. Entre uma declaração e outra sobre liberdade na rede e web semântica, Cerf costuma apoiar mistura de softwares de desenvolvimento abertos e celulares. Para ele, esse casamento será glorioso em meios para facilitar todo o tipo de comunicação num futuro próximo.

Referência: itweb

out

21

JSF – Java Server Faces

By Robson Soares

O JSF é um framework para desenvolvimento de aplicações web usando Java. Este post é o primeiro sobre JSF (Java Server Faces), onde meu aluno e amigo Ermeson, que trabalha na empresa AZ Informática, com desenvolvimento de aplicações web usando Java, havia a algum tempo me falado em desenvolver uma aplicação exemplo de JSF e que pudesse ser colocada a notícia sobre o seu desenvolvimento aqui no blog, e eu prontamente disse que sim.

A aplicação em execução é mostrada a seguir:

jsf

Esta semana o Alexandre Leque, meu aluno e amigo também da N60 me passou algumas dicas no desenvolvimento de JSF e me ajudou bastante. Agradeço ao Alexandre também pela disponibilidade.

Para mim esta aplicação será muito útil pois estou dedicando muito tempo no estudo para o desenvolvimento de aplicações móveis e não tive condições de estudar este framework fantástico para desenvolvimento de aplicações web.

A aplicação que ele desenvolveu possui duas tabelas que são:

ContaPagar e Fornecedor

O arquivo index.jsp possui a seguinte referência entre as tags de jsp:

response.sendRedirect(request.getContextPath() + “/menu.jsf”)

Depois utilizarei outros posts para descrever esta aplicação.

Obrigado Ermeson pela aplicação e ao Alexandre pela disponibilidade de informações sobre a estrutura de funcionamento do JSF

out

21

Cálculo de IMC com Android

By Robson Soares

Desenvolvi uma aplicação para o cálculo do IMC (Índice de Massa Corporal) usando o Android 1.5. O objetivo desta aplicação é o estudo do Android e também para ter a informação de como anda nosso peso para podermos cuidar da nossa saúde.

A aplicação em execução pode ser visualizada na figura a seguir.

android21

O código da classe Atividade.java é mostrado abaixo.

package android.app;

import android.app.Activity;
import android.os.Bundle;
import android.view.View;
import android.widget.Button;
import android.widget.EditText;
import android.widget.TextView;

public class Atividade extends Activity {
/** Called when the activity is first created. */
@Override
public void onCreate(Bundle savedInstanceState) {
super.onCreate(savedInstanceState);
setContentView(R.layout.main);

Button b = (Button) findViewById(R.id.btCalcular);

b.setOnClickListener(new Button.OnClickListener(){

public void onClick(View v) {
EditText p = (EditText) findViewById(R.id.peso);
EditText a = (EditText) findViewById(R.id.altura);

double p1 = Double.parseDouble(p.getText().toString());
double a1 = Double.parseDouble(a.getText().toString());

double imc = p1 / (a1 * a1);

TextView i = (TextView) findViewById(R.id.labelIMC);
TextView s = (TextView) findViewById(R.id.labelSituacao);

i.setText(” ” + imc);

if (imc < 18.5){

s.setText("Abaixo do Peso");

}
else
if ((imc >= 18.5) && (imc < 25)) {

s.setText("No Peso NORMAL!!!");

}
else
if ((imc >= 25) && (imc < 30)) {

s.setText("Acima do Peso");

}
else
if ((imc > 30)) {
s.setText(“Obeso!!!”);
}

}

});

}
}

Espero que seja útil a todos que estão começando a estudar a programação para este novo sistema operacional embarcado.

Abraço

Robson

out

14

Site sobre Java para Dispositivos Móveis

By Robson Soares

Quando fui dar uma palestra sobre JME em Dourados, conheci a equipe que desenvolve o site Java Móvel. São pessoas muito bacanas e com um futuro muito promissor e com mérito pelo trabalho que desenvolvem. É um site com ótimo conteúdo sobre JME. Inclusive usei um conteúdo que eles haviam publicado na minha apresentação e me foi muito útil, sobre o número de celulares no Brasil e no estado de Mato Grosso do Sul.

Parabéns aos seus desenvolvedores pelo ótimo trabalho e cada vez mais sucesso.

O Java Móvel foi criado para unir desenvolvedores e interessados em Mobilidade e Programação em Java ME, discutir as tecnologias e gerar um conteúdo de qualidade para que todos possam ter acesso ao desenvolvimento de aplicações para dispositívos móveis.

O link para acessar o site é: www.javamovel.com

Grande abraço a todos

Robson

out

11

Compare os smartphones Nokia N97, HTC Touch Pro, Blackberry Bold, Blackberry Storm e iPhone 3GS

By Robson Soares

Os smatphones parecem iguais, com internet 3G, música, vídeo, telas grandes e sensíveis ao toque, redes sociais e ferramentas de trabalho. Mas as diferenças estão no tamanho da tela, se são sensíveis ao toque ou não, desempenho de processamento, ícones grandes, duração da bateria, conexão com emails e redes sociais de forma fácil e sem complicação.

É importante ressaltar que smartphones costumam ter foco para trabalho ou entretenimento, mesmo os topo de linha. Todos os aparelhos testados podem ser usados em ambas as situações, mas, evidentemente, recebem mais capricho nas funções voltadas para seu público-alvo. Antes de fazer sua escolha, é importante que você defina que características são imprescindíveis para seu tipo de uso. Recomenda-se até mexer nele antes da aquisição, para ver se sua vista e coordenação motora estarão afinados com celulares-computadores tão pequenos.

Quesitos avaliados:

- Desempenho (que engloba agilidade na abertura e alternância entre aplicações)
- Funcionalidades (características diversas que dão o caráter “canivete-suíço” dos smartphones)
- Bateria (autonomia em situações de uso intenso de voz e dados)
- Facilidade de uso (interface amigável e que não exija muito tempo de aprendizado para suas diversas funções)

Aparelhos que participaram do teste:

- Nokia N97 (lançado no fim de agosto)
- HTC Touch Pro (chega ao mercado em outubro)
- Blackberry Bold
- Blackberry Storm
- iPhone 3GS (lançado no fim de agosto)

Características de cada smartphone:

Nokia N97

- O N97 tem tela sensível ao toque, uma das mais bonitas entre os aparelhos mais recentes da Nokia. A tela principal pode ser configurada com widgets – pequenos aplicativos que podem ser arrastados para qualquer lugar da tela. Entre eles, destacam-se previsão do tempo, emails, Facebook, tocador de música e transmissor de FM. Tem 3G, GPS, Wi-Fi e um teclado deslizante, no qual chama a atenção o teclado recuado à direita. O N97 vem com o Comes With Music, para o usuário baixar de graça músicas da loja da Nokia por um ano. Depois desse período, é possível mantê-las no aparelho e no computador. É o smartphone perfeito para quem gosta de redes sociais. Sua câmera de 5 megapixels, com lentes Carl Zeiss e flash, foi a que teve melhores resultados entre os aparelhos do teste, com fotos excelentes. Conta ainda com uma segunda câmera frontal para videoconferência.

HTC Touch Pro

- O Touch Pro, topo de linha da HTC, tem tela touchscreen e um excelente teclado físico. A interface Touch Flo 3D deixa o Windows Mobile mais bonito a facilita a execução das tarefas triviais de mensagens, emails, fotos e música. Mas é impossível esconder o “esqueleto” do Windows Mobile, considerado por leigos um sistema confuso. Para quem quer um smartphone poderoso para trabalhar, é a opção mais completa, com 3G, Wi-Fi, aplicativos do Office, impressão de documentos por rede e, o supra-sumo, uma placa de vídeo dedicada. Com um cabo video componente (que não acompanha o produto), é possível ligar o Touch Pro num monitor ou datashow e rodar vídeos. Como ele tem PowerPoint nativo, eis uma ótima opção para professores ou executivos que fazem muitas apresentações. Tem 2 câmeras, a principal traseira de 3.2 MP, e a secundária, frontal, para videoconferências.

Blackberry Bold

- Verdadeiro sucesso de vendas, o Bold inova com capacidades multimídia, uma tela de excelente definição e um design arrebatador: arredondado e com textura em couro no verso. Mas por dentro, continua sendo um Blackberry, imbatível em ferramentas de comunicação, como email e IM. Mas o melhor da RIM até hoje, com 3G, wifi, GPS. A câmera de 3 MP com flash, porém, é o único ponto fraco: as imagens obtidas ficaram bem aquém da média dos aparelhos concorrentes. Seu teclado é espaçoso e de digitação confortável. O Bold vem com a Blackberry App World, loja de aplicativos para baixar programas.

Blackberry Storm

- Primeiro Blackberry com touchscreen, o Storm tem uma bonita tela de 3,2”. A entrada de textos é baseada no sistema SurePress. Encostando na tecla, a letra é selecionada, e ao pressioná-la, é efetivamente clicada. A tela toda “desce” e dá a sensação de estar usando um teclado físico. Na vertical, o teclado tem 2 letras por teclada e a escrita se baseia na previsibilidade de palavras – o que nem sempre dá muito certo. Inclinando na horizontal, o teclado transforma-se num QWERTY. O Storm também vem com a Blackberry App World, loja de aplicativos para baixar programas e personalizar o aparelho. A câmera de 3.2 MP e flash é melhor que a do Bold, graças ao “autofoco”, que melhora consideravelmente a qualidade das fotos.

iPhone 3GS

- O “fenômeno” da Apple justifica toda a fama logo no primeiro toque. De beleza indiscutível tanto no design como na interface, tem um deslize suave entre telas e é de facílima compreensão, sendo o mais indicado para leigos e não aficcionados por tecnologia. A tela é a melhor entre os aparelhos testados para quem tem dificuldade de leitura. Traz como navegador o Safari, idêntico à versão para computador, o que também alça o 3GS a um aparelho top para navegação. Assim, usar a internet não requer nenhuma habilidade extra. Sua câmera de 3.2 MP além de fotografar também grava (e até edita os clipes) nessa nova versão 3GS.

Nossas conclusões:

Como dito no início desse teste comparativo, smartphones costumam ter foco para trabalho ou entretenimento. Todos os aparelhos testados podem ser usados em ambas as situações, mas evidentemente recebem mais capricho nas funções voltadas para seu público-alvo.

Os dois Blackberry são aparelhos de cunho corporativo que, pela primeira vez, ganharam reforços em multimídia para agradar também os usuários comuns. Enquanto o Bold brilha nos dois quesitos (com ótima tela e ótimo teclado, apesar de um pouco grandinho) o Storm entrega mal ambos, pois tropeça na estabilidade do sistema e sequer oferece Wi-Fi, unanimidade em topos de linha. Mas a tela grande e brilhante é interessante para quem tem dificuldades de enxergar nos Blackberry de telas menores, sem touch.

O HTC Touch Pro é o mais “poderoso” dos smartphones voltados ao trabalho, com tantos recursos que permite que em muitos casos até se deixe o laptop em casa. Mas a interface Windows Mobile pode ser um fator complicador para os estreantes em mobilidade, sem contar que é o mais espesso e pesado dos dispositivos participantes nesse teste.

Já Nokia N97 e iPhone 3GS são claramente aparelhos para lazer. O N97 é excelente para quem gosta de redes sociais, que podem ser facilmente acessadas pelos widgets. Apesar da loja de músicas da Nokia nativa no aparelho (algo que a Apple ainda não oferece no Brasil), acessá-la mostrou-se um trabalho complicado, com downloads demorados. Baixamos músicas em mais de uma rede 3G e numa rede Wi-Fi local e constatamos que a loja realmente não prima em desempenho. O touchscreen também é deficiente. Por outro lado, o iPhone 3GS deu um banho em rapidez e simplicidade de uso. Só ficou devendo em ferramentas para trabalho. Os preços, condições de compra e dificuldades que os consumidores estão passando no Brasil para adquirir o iPhone 3GS são bastante desanimadores.

Para fazermos a escolha do Laboratório, analisamos todos os pontos fortes e fracos dos aparelhos, considerando também seu custo-benefício. Dentre todos, o Blackberry Bold foi o que mostrou maior equilíbrio, com ferramentas de trabalho maduras, boa capacidade multimídia e autonomia de bateria campeã, sendo, portanto, nossa escolha.

Referência: Olhar Digital

Por Bia Kunze